Escolha uma Página

Mãe também precisa de colo

09 - 05 - 22

SER mãe…

Para a Doutrina Espírita, essa condição da maternidade é um compromisso assumido perante as Leis de Deus que, pressupõe oferecer oportunidades de evolução à esses espíritos, por meio da reencarnação. Cabendo aos pais, o amparo amoroso, pacífico e paciente, necessários para os passos, nos caminhos de intensos aprendizados, que serão trilhados por cada um, individualmente!!

“Ser mãe representa a possibilidade do exercício do amor incondicional, doando o melhor de si para a evolução de um espírito que nasce no papel de filho, seja ele um amigo do passado ou alguém que necessite de reconciliação, como oportunidade de reconstruírem uma nova história.” 

(Trecho de A Missão de Ser Mãe no Blog Mundo Maior, 4 de maio de 2015)

Sabe-se que, a maternidade ainda é o desejo de milhares de mulheres. No entanto, para outras é um acontecimento inesperado e, em alguns casos, indesejado. Para todas as mães que já passaram por isso, esse é um período de muitas dúvidas, ansiedades, inseguranças, medos…

Não existe um “manual explicativo” sobre como se tornar uma mãe! Nem como amamentar sem dor! Ou ainda, como conseguir ser mãe, esposa, dona de casa! Ou como deixar seu filho e voltar ao trabalho. A Maternidade é exercida à medida em que vai sendo vivenciada. E, na grande maioria dos casos, para muitas mães, esse caminho é árduo.

Muitas são as mudanças na vida dessas mulheres:

  • A gestação e, com ela, todas as transformações mágicas, incômodas, surreais em nossos corpos e mentes…
  • O nascimento e toda a demanda de atenção, encantamento, cuidados, entregas, exaustão física e mental, desespero…
  • O desenvolvimento e a criação desses filhos com todos os desafios sociais, morais, culturais…

Acreditem!! Damos conta ou não!! Mas de que forma fazer com que essa “travessia” seja leve e sadia? Como seria se fôssemos acolhidas? Se vivenciássemos rodas de trocas de experiências?  

É aqui que entra a Sororidade!!

Escuta o TEDx ‘Hel Mother: Maternidade Real’ da Helen Ramos, ela divide a sua experiência e nos convida a “desromantizar a maternidade” por uma vida melhor para todos. Dá o play!

Você já ouviu falar em Sororidade?

Sororidade é um termo utilizado para expressar a união entre mulheres através do acolhimento, da escuta amorosa, do desenvolvimento da empatia, entre outros, em prol de objetivos comuns. É o não julgamento às outras mulheres mas o ato de ouvir e respeitar umas às outras sem competição e sem críticas. 

“ Relação de irmandade, união, afeto ou amizade entre mulheres, assemelhando-se àquela estabelecida entre irmãs. Por extensão] União de mulheres que compartilham os mesmos ideais e propósitos, caracterizada pelo apoio mútuo evidenciado entre essas mulheres” 

(Dicionário Online de Português)

  • De que forma exercer a Sororidade na maternidade?
  • Acolhendo essas mães.
  • Encorajando-as, desde o início da gravidez.
  • Promovendo rodas de conversas.
  • Promovendo trocas de experiências.
  • Oferecendo ajuda para as mães sobrecarregadas.

Então, é possível passarmos por esse “compromisso” não só, sentindo o empoderamento que nos é dado enquanto mães, mas também, sentindo o acolhimento dessa irmandade que ouve, respeita, dá colo e ama!!

É possível!! Juntas somos mais fortes!! Façamos!!


Começa se juntando a esse papo que Ivana Torres, Janaína Jatobá e Luciana Dantas gravaram e reflita sobre as fragilidades da maternidade e se é possível o acolhimento tomar uma nova forma em você. Dá o play pra conferir!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *